Prefeitura quer que políticos do PSOL paguem prejuízo de empresas de ônibus

Prejuízo teria como causa uma ação judicial movida pelo PSOL em 2016 para barrar aumento da passagem.(Foto: Guilherme Santos/Sul21)

“Esta ação do governo Marchezan é a coisa mais surreal e absurda que já vi nos últimos anos. PSDB advogando para defender empresários de ônibus”. Essa foi a reação da vereadora Fernanda Melchionna (PSOL) ao comentar a decisão da Prefeitura de Porto Alegre que entrou na Justiça contra cinco lideranças do partido no Rio Grande do Sul – Luciana Genro, Fernanda Melchionna, Pedro Ruas, Alex Fraga e Roberto Robaina – querendo que elas sejam responsabilizados por um prejuízo de R$ 5 milhões que teria sido causado às empresas de ônibus da capital gaúcha no ano passado. Esse prejuízo teria como causa uma ação judicial movida pelo PSOL que congelou a tarifa em R$ 3,25 por um período de 33 dias, até entrar em vigor o novo aumento que elevou o preço da passagem para R$ 3,75.

Em dezembro de 2016, dois consórcios de ônibus de Porto Alegre entraram na Justiça cobrando que a Prefeitura pagasse os prejuízos que teriam sido causados pelo congelamento de 33 dias do preço da passagem. A Procuradoria Geral do Município entrou, então, com uma ação contra os políticos do PSOL, querendo que eles “paguem a conta” para as empresas.

O vereador Roberto Robaina disse que o prefeito Nelson Marchezan Jr. quer processar o PSOL para defender os empresários. “A prefeitura dirigida por Marchezan declarou que vai entrar na justiça contra o PSOL para que os seus líderes paguem para os empresários os cinco milhões que os patrões privados dos transportes de ônibus alegam terem perdido quando conquistamos por algumas semanas, no ano passado, o congelamento das tarifas”. Para Robaina, a medida representa “luta de classes pura”: “o governo a serviço dos patrões x nossa posição em defesa dos interesses dos trabalhadores”. Em nota publicada em sua página no Facebook, o vereador acrescentou:

“Não temos medo de ações judiciais do PSDB. Já enfrentamos o governo corrupto de Yeda Crusius do PSDB. Não hesitamos em enfrentar o PSDB novamente, agora o governo Marchezan, que assume neste caso os interesses diretos de uma patronal que atuou durante décadas na ilegalidade. Foi a Justiça que nos deu ganho de causa quando denunciamos a ilegalidade dos aumentos”.

(*) Publicado originalmente no Sul21.

 

Anúncios

Uma ideia sobre “Prefeitura quer que políticos do PSOL paguem prejuízo de empresas de ônibus

  1. Nelson

    Nenhuma surpresa. o PSDB é, explicitamente, o partido dos grandes negócios, do empresariado. Um sujeito que votou a favor da PEC 241 e ferrou com, no mínimo, 170 milhões de brasileiros que precisam de serviços públicos de qualidade iria fazer o quê como prefeito de Porto Alegre?

    A registrar a inanição de grande parte dos portoalegrenses em termos de compreensão de como funciona a política. Poucos dias depois de ferrar com 80% ou até 90% dos brasileiros ajudando a aprovar a PEC 241, o senhor Marchezan Junior recebia um presente dos portoalegrenses: um mandato de quatro anos como prefeito.

    Depois as pessoas vêm se lamentar e a repetir que ninguém presta na política. Se votam nos seus algozes, esperariam o quê deles?

    Resposta

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s