Proposta anunciada como solução para aluguel da TVE já existia no governo Tarso, diz ex-presidente

Pedro Osório: “Esse acordo já existia e vigorava há seis anos. Foi formalizado na gestão que presidi.” (Foto: Mariana Fontoura/CMPA/Divulgação)

Pedro Osório: “Esse acordo já existia e vigorava há seis anos. Foi formalizado na gestão que presidi.” (Foto: Mariana Fontoura/CMPA/Divulgação)

O ex-presidente da Fundação Piratini, Pedro Luiz Osório, afirmou nesta terça-feira (8) que a proposta de permuta com a Empresa Brasil de Comunicação (EBC) anunciada pela atual direção da fundação como solução para pagar o aluguel do imóvel ocupado pela TVE e FM Cultura, já existia há cerca de seis anos e foi formalizado na gestão que ele presidiu. Em uma nota publicada em sua página no Facebook, Pedro Osório escreveu:

“ZH desta terça, na coluna da Rosane de Oliveira, informa que a direção da Fundação Piratini achou uma solução para pagar o aluguel do imóvel ocupado pela TVE e FM Cultura, propriedade da EBC. Para usar os prédios e o terreno, a Fundação produzirá materiais para a EBC e dará assistência técnica aos seus equipamentos localizados no sul. Esse acordo já existia e vigorava há seis anos. Foi formalizado na gestão que presidi. Isso foi bem divulgado na época e ignorado pela ZH, como de praxe (surpreendentemente, a atual direção divulgou a iniciativa como se fosse sua). Ao contrário do que a nota no jornal dá a entender, o Estado não gastava com o aluguel”.

A edição deste mês do boletim interno da Fundação Piratini traz a notícia sobre uma reunião ocorrida em Brasília entre a presidenta Isara Marques, o presidente da EBC, Laerte Rimoli, e o chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, para tratar do contrato do prédio onde a TVE e a FM Cultura estão hoje. Nesta reunião, Isara Marques apresentou uma proposta de permuta entre a Fundação e a EBC como forma de pagamento do aluguel do prédio, avaliado pelo governo federal em R$ 170 mil mensais. A contrapartida da Fundação ocorreria por meio de programas produzidos pela TVE e FM Cultura para serem exibidos na grade da TV Brasil, e da manutenção técnica para as retransmissoras da EBC no Estado.

No dia 7 de outubro de 2011, a Fundação Piratini assinou um acordo nestes termos com a EBC que incluiu um contrato para a prestação de serviços de produção jornalística e um termo de cessão de uso do prédio da empresa pela TVE e pela FM Cultura. O imóvel, onde as emissoras estão instaladas há mais de três décadas, foi adquirido pela EBC em janeiro de 2010. “Ao invés de pagar aluguel, nós produzíamos conteúdo para a EBC e prestávamos assistência técnica para seus equipamentos aqui no Estado. Nunca gastamos com aluguel”, diz Pedro Osório.

No último sábado (5), o Movimento dos Servidores da Fundação Piratini, o Sindicato dos Jornalistas do RS e o Sindicato dos Radialistas do RS promoveram, no Parque da Redenção, um ato em defesa da TVE e da FM Cultura e para alertar a população sobre a ameaça de privatização e extinção de fundações pelo governo José Ivo Sartori (PMDB).

(*) Publicado originalmente no Sul21

Anúncios

Sobre rsurgente

Jornalista, Porto Alegre (RS), Brasil.
Esse post foi publicado em Mídia e marcado , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s