Editorial de ZH defende processo de impeachment liderado por Eduardo Cunha

editorialzh

O jornal Zero Hora publicou um editorial nesta quarta-feira (13), intitulado “A democracia não está ameaçada”, defendendo o processo de impeachment, liderado pelo deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) na Câmara dos Deputados. Na opinião do jornal do Grupo RBS, esse processo “está sendo conduzido de acordo com os preceitos constitucionais”. O editorial condena aqueles que “tentam confundir a opinião pública aqueles que dizem que a democracia está ameaçada pelo processo de impeachment”. Ao publicar esse editorial, Zero Hora sai do armário e alinha-se explicitamente com o movimento liderado por Eduardo Cunha e o vice-presidente Michel Temer para depor a presidenta da República, Dilma Rousseff, eleita pelo voto popular em 2014.

Não chega a ser uma novidade. O jornal do grupo RBS nasceu à sombra do golpe de 1964 e da ditadura que se seguiu a ele. Como se sabe, o jornal Zero Hora ocupou o lugar da Última Hora, fechado pela ditadura por apoiar o governo constitucional de João Goulart. A certidão de batismo do jornal, portanto, é marcada pelo desprezo à democracia e pela aliança com o autoritarismo, o que fala muito sobre o ethos editorial que a publicação viria a desenvolver nos anos seguintes.

zehoravintage Três dias depois da publicação do famigerado Ato Institucional n° 5 (13 de dezembro de 1968), ZH publicou matéria sobre o assunto afirmando que “o governo federal vem recebendo a solidariedade e o apoio dos diversos setores da vida nacional”. No dia 1° de setembro de 1969, o jornal publica um editorial intitulado “A preservação dos ideais”, exaltando a “autoridade e a irreversibilidade da Revolução”. A última frase editorial fala por si: “Os interesses nacionais devem ser preservados a qualquer preço e acima de tudo”.

Os interesses nacionais, no caso, se confundiam com os interesses privados dos donos da empresa. A expansão da empresa se consolidou em 1970, quando foi criada a sigla RBS, de Rede Brasil Sul, inspirada nas três letras das gigantes estrangeiras de comunicação CBS, NBC e ABC. A partir das boas relações estabelecidas com os governos da ditadura militar e da ação articulada com a Rede Globo, a RBS foi conseguindo novas concessões e diversificando seus negócios.

zero-hora-e-o-golpe-14-maio-64 A participação da mídia brasileira no golpe de 64 e na ditadura que se seguiu a ele é um episódio que ainda está para ser plenamente contada. Há muitas lacunas e zonas cinzentas nesta história. E isso não parece ocorrer por acaso. Muitos dos compromissos que levaram uma parte importante da imprensa brasileira a se aliar com setores golpistas e autoritários permanecem presentes e se manifestam em outros debates da vida nacional. Enquanto a sociedade não decidir que abrir essa caixa preta é uma condição para o avanço da democracia no país, essas empresas seguirão praticando um de seus esportes preferidos: pisotear a memória e apresentar os seus interesses privados como se fossem interesses públicos.

Anúncios

Sobre rsurgente

Jornalista, Porto Alegre (RS), Brasil.
Esse post foi publicado em Mídia, Política e marcado , , , , , , , . Guardar link permanente.

3 respostas para Editorial de ZH defende processo de impeachment liderado por Eduardo Cunha

  1. Ceres disse:

    Que esperar da ZHlotes? Golpista, sonegadora!

  2. Nelson disse:

    Estás certa Ceres.
    Não poderíamos esperar outra coisa de algo podre como a RBS.

  3. Juarez Honorato Martins disse:

    Quem se lembra do governo do pmdb(Jose Sarney) Maior inflacao de todos os tempos. Agora querem por no governo dois membros do pmdb que estao sendo acusados de corruptos(desvios de bilhoes). Que esperam com isto? Mais sofrimento para o Povo Brasileiro.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s