MAB promove semana de lutas contra privatização da água e da energia

Segundo o MAB, a jornada de mobilização não é apenas dos atingidos por barragens, uma vez que “toda a população é afetada pela privatização da água e da energia e pelas altas tarifas da energia, além de outros problemas. (Foto: MAB/Divulgação)

Segundo o MAB, a jornada de mobilização não é apenas dos atingidos por barragens, uma vez que “toda a população é afetada pela privatização da água e da energia e pelas altas tarifas da energia, além de outros problemas. (Foto: MAB/Divulgação)

O Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) promoverá, em março, uma semana de lutas em todo o país para denunciar a alta do preço da luz, a privatização da água e da energia e os efeitos sociais e ambientais do rompimento da barragem da Samarco, em Mariana (MG). Segundo o MAB, essa jornada de mobilização não é apenas dos atingidos por barragens, uma vez que “toda a população é afetada pela privatização da água e da energia, pelas altas tarifas da energia, pelo dinheiro público investido em obras que só aumentam o lucro das empresas privadas e por desastres como o que aconteceu em Mariana”. Para o MAB, a Vale é a culpada pelo crime contra o povo de Mariana e contra a vida de toda a bacia do Rio Doce.

As principais atividades desta jornada ocorrerão nos dias 8 e 9 de março. No Rio de Janeiro, o MAB promoverá atos, juntamente com outros movimentos sociais, para denunciar que a construção de barragens é fundada no amplo desrespeito aos atingidos, e o descaso com seus direitos, ao mesmo tempo em que, na avaliação do movimento, “expõe a incompetência e a excelência do atual modelo do setor elétrico, que a cada ano anuncia recordes de lucro e envia bilhões de reais para a sede de suas empresas privadas na Europa e Estados Unidos”.

O MAB pretende denunciar também que o Estado brasileiro, suas autarquias e estruturas, entre elas o BNDES e a Eletrobras, “não atendem a compensação social e os direitos dos atingidos, ao contrário do que acontece em outros países e, ao final, são responsáveis por essa situação ao criar as condições jurídicas, econômicas e institucionais para que as empresas do setor elétrico tenham as melhores condições para os maiores lucros”.

No dia 14 de março, o MAB participará do Dia Internacional de Lutas Contra as Barragens, pelos Rios, pela Água e pela vida, organizado por movimentos de atingidos por barragens latinoamericanos. Esta data, definida em 1997 durante o 1º Encontro Internacional dos Atingidos por Barragens, é marcada pela denúncia dos atingidos por barragens no mundo às graves violações dos direitos sociais, econômicos, culturais e ambientais causadas pelo setor elétrico.

Anúncios

Sobre rsurgente

Jornalista, Porto Alegre (RS), Brasil.
Esse post foi publicado em Meio Ambiente, Política e marcado , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s