Vídeo traz promessas de Sartori na campanha eleitoral para RS “viver sem medo”

Na campanha eleitoral, Sartori prometeu implantar "modelo de policiamento desenvolvido pelo criminologista Herman Goldstein". (Foto: Caroline Ferraz/Sul21)

Na campanha eleitoral, Sartori prometeu implantar “modelo de policiamento desenvolvido pelo criminologista Herman Goldstein”. (Foto: Caroline Ferraz/Sul21)

Um trecho do programa eleitoral de José Ivo Sartori (PMDB) destinado ao tema da segurança pública passou a circular com força nas redes sociais na última semana diante do agravamento do quadro de violência no Rio Grande do Sul. Neste vídeo, o então candidato Sartori diz que a segurança pública é “um dos assuntos mais delicados para todos, principalmente para pais e mães de jovens em situação de risco”. E acrescenta: “eu, como governador, quero que todos nós possamos voltar a viver sem medo”. Em pouco menos de 50 segundos, faz três promessas para melhorar a segurança da população:

Aumentar o efetivo da Brigada Militar: “Além de aumentar o efetivo da Brigada Militar, que está defasado, nosso plano prevê menos policiais em tarefas administrativas e mais policiais nas ruas”.

Guardas Municipais: “vamos incentivar a criação das guardas municipais onde elas não existem”.

Presença rotineira da Polícia: “a presença rotineira da polícia nas ruas é a melhor prevenção ao crime. Quem tem que sentir medo é o criminoso, não o cidadão”.

Essas promessas fazem parte também do programa de governo apresentado pelo candidato ao Tribunal Regional Eleitoral, em setembro de 2014. Esse documento resume os principais compromissos de Sartori com a segurança pública. Entre eles, está a aplicação, no Rio Grande do Sul, do “modelo de policiamento desenvolvido pelo criminologista Herman Goldstein”. As principais promessas apresentadas neste documento são as seguintes:

Aumento do efetivo da Brigada Militar: dar continuidade à recomposição do efetivo da Brigada Militar, de modo a recompor, pelo menos, a meta histórica de 3 policiais para cada 1.000 gaúchos.

Recuperação e modernização da estrutura de policiamento preventivo com investimentos em sistemas de comunicação e georreferenciamento.

Fortalecimento da capacidade investigativa da Polícia Civil, com ampliação do quadro de delegados e investigadores.

Atendimento ao cidadão: melhorar a presteza e a qualidade do atendimento aos cidadãos nas Delegacias de Polícia.

Patrulhamento Comunitário: programas permanentes de patrulhamento em bairros violentos, segundo o modelo desenvolvido pelo criminologista Herman Goldstein. Neste modelo, “o escopo da ação policial é ampliada para além do crime como incidente isolado, de forma a captar e buscar soluções para o conjunto de circunstâncias sociais, físicas e culturais que o incentivam”.

(*) Publicado originalmente no Sul21.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s